segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Visita da Aflex aos contratados locais em Paris

 
A AFLEX, Associação apartidaria sem fins lucrativos, tem como um dos objetivos assegurar direitos e benefícios trabalhistas aos Contratados Locais do MRE no Mundo. A AFLEX conta com o apoio de diferentes parlamentares e de diferentes partidos políticos e ja' possui 2 Projetos de Lei tramitando no Senado.
Visando estreitar ainda mais as relações e contatos com os Contratados Locais do MRE na Europa, ocorreu neste final de semana a visita da AFLEX aos colegas Contratados Locais em Paris.
A troca de experiencia com os postos e' fundamental para a AFLEX e foi importante a visita 'a França, um país referência em termos de respeito e observação dos direitos humanos e trabalhistas. Nessa primeira visita contamos com a valiosa história dos Contratados e ex-Contrados Locais do MRE em Paris, e servirá de alicerce para conscientização e estruturação da categoria, assim como para a aproximação dos outros paises da Europa e dos demais continentes.
O Vice-Presidente reuniu-se com os colegas Contratados e ex-Contratados Locais da Embaixada e Consulado do Brasil em Paris, nas proximidades do Consulado, com vistas a ouví-los e, ao mesmo tempo, informá-los sobre o desenrolar das atividades planejadas pela AFLEX para o último trismestre de 2013.
O encontro ocorreu em clima de amizade e cooperação e o contato entre os Contratados Locais daquele País e a AFLEX foi solidificado.


OBRIGADO PESSOAL DE PARIS!


DIRETORIA DA AFLEX


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Votação do PLS 246/2013 - CAS(Comissão de Assunto Sociais) do Senado aprova o PLS.

video


http://www.senado.gov.br/noticias/tv/videos/cod_midia_279027.flv


Aprovado projeto que trata dos direitos

dos auxiliares locais do Serviço Exterior

Brasileiro

Claudio Humberto


http://diariodopoder.com.br/coluna/vendendo-frango/

Funcionários locais do Itamaraty ameaçam nova greve contra a indefinição do regime de salários no exterior: justificam que ganham menos por hora que os da rede KFC, em greve por US$ 15 a hora.
Compartilhar


  • 4 DE SETEMBRO DE 2013
    O Ministério das Relações Exteriores admitiu ontem “fazer ajustes administrativos” numa aberração de nepotismo explícito, prestes a se instalar na Missão do Brasil junto às Nações Unidas. Designado para chefiar o posto, o ex-chanceler Antonio Patriota pode ser obrigado a se livrar do irmão, embaixador Guilherme Patriota, e da mulher dele, conselheira Erika, que há um mês assumiram posições na repartição.
    Compartilhar

  • A lei proíbe subordinação direta entre familiares, por isso o Itamaraty já admite que o casal Guilherme e Erika Patriota pode ser removido.
    Compartilhar
  • A assessoria chegou a sustentar que o Itamaraty acha “normal” que Antonio Patriota chefie irmão e cunhada em Nova York, mas recuou.
    Compartilhar
  • Outro membro da família Patriota, Tânia Cooper Patriota, mulher do ex-chanceler, é também funcionária das Nações Unidas.
    Compartilhar
  • Antonio Patriota não terá vida fácil na sabatina do Senado: o relator, Aloysio Nunes (PSDB-SP), já criticou as “patacoadas” de sua gestão.
    Compartilhar
  • Do tipo astuto, que se incluiu entre os eventuais substitutos de Antonio Patriota, o embaixador Antonio Simões deve aparecer como o cabeça de e-mails de instruções a Eduardo Saboia, encarregado de negócios do Brasil em La Paz, para “enrolar” o caso do senador Roger Molina, sem empenho em negociar solução séria. Ele é subsecretário-geral de América do Sul, responsável pelos assuntos de Bolívia no Itamaraty.
    Compartilhar
  • Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Ricardo Ferraço (PMDB-ES) acha Antonio Simões só um peão no tabuleiro.
    Compartilhar
  • O problema, para Ferraço, é que a política externa brasileira está submetida aos interesses ideológicos de governo e não aos de Estado.
    Compartilhar


    http://www.jornaldamidia.com.br/coluna-de-claudio-humberto/#.UifJ-DlZdJw